Movendo Database do TFS para um novo Servidor

Ola Pessoal!!!

Hoje vou demostrar a vocês como migrar as databases do TFS 2013 (Team Foundation Server) para um novo Servidor de SQL. Nesta demostração as database estão no SQL Server 2012 serão migradas para um novo servidor de SQL Server. Vamos mover também o “TFS_Configuration” a principal databases pois nela tem todas as configurações de seu TFS. Vamos seguinte ordem:

Processo de Migração:

  • Detach Collection no TFS Server 2013;
  • Detach Database no SQL Server 2012;
  • Move Database para o Servidor novo;
  • Attach Database no Servidor novo de SQL Server 2012;
  • Attach Database no TFS Server 2013;
  • Migrando Base TFS Configuration;

Detach Collection no TFS Server 2013

Vamos ao Servidor de TFS, em seguida abra o Application Tier Selecione a Collection que iremos mover e cliquem em “Detach Collection

1

Em seguida clique em Next 

2

Em seguida clique em “Verify“, ele vai verificar se a Database está funcional. 4

Caso não tenha nenhum problema na collection, ela vai completar todas as etapas.

Em seguida clique em “Close”

5

Observação:  O TFS Server só detach um database se ela não estiver com nenhum problema. Pronto Death com sucesso, para fechar clique em Close. 6

Detach Database no SQL Server 2012

No Servidor de SQL abra o SQL Management Studio e logue na Instancia onde está alocado as database do TFS.

Em Seguida clique com o botão direto na database que foi Detach no TFS, vá em Task >Detach

7

Agora selecione Drop e Update para encerrar as conexões ligadas na Base, em seguida clique em Ok

8

Pronto sua database foi detach com sucesso. Mova a database do servidor atual para o servidor novo.

Attach Database no Servidor novo de SQL Server 2012 

Entre no Servidor no e logue na instancia, em seguida clique com o botão direito emDatabases > Attach

9

 

Clique em Add

10

Agora vamos escolher a database ‘MDF’e ‘LDF’, e clique em OK

11 12

Após adicionar a database clique em OK

13

Pronto a database já está attach no novo servidor

14

Attach Database no TFS Server 2013

Entre no servidor de TFS e abra o Application Tier em seguida clique em Attach Collection

15

 

  1.  SQL Server Instance: Coloque o nome do novo Servidor se a instancia estiver em default ou coloque o nome da instancia.
  2. Database: Escolha a database que foi attach no servidor novo de SQL Server.
  3. Selecione a confirmação que foi feito o Backup da Database.

16

Verifique o nome da Collection em seguida clique em Next

17

Nesta tela ele vai apresentar um Overview das configurações, em seguida clique em Verify

18

Após a verificação cliquem em Attach

19

Pronto sua Collection foi Attach, em seguida clique em Next

20

21

Agora vamos verificar se a Collection está Online

22

 Migrando Base TFS Configuration

Essa fase do processo é muito importante, o TFS_Configuration e a database de configuração do seu TFS. Este banco de dados armazena o catálogo de recursos e as informações de configuração para o Team Foundation Server. Esta base de dados contém as lojas operacionais para Team Foundation Server.

Para mover a database vamos utilizar o Gerenciador de Configurações do Team Foundation Server “TFSConfig”.

Você pode usar o TFSConfig para configurar o TFS para usar credenciais, endereços e portas já definidas. Você não pode usar a ferramenta para criar contas ou modificar os endereços que os componentes, como o Produtos do SharePoint, usam. Por exemplo, é possível usar o TFSConfig para alterar contas de serviço e senhas contanto que as contas e senhas já existam. Você também pode usar o TFSConfig para ajudar a reparar ou a recuperar sua implantação se um evento inesperado ocorrer. Por exemplo, é possível usá-lo para reparar a implantação se uma atualização de software não se aplicar a todos os componentes no sistema ou se uma restauração de bancos de dados de um backup deixar um banco de dados de coleção desanexado.

Vamos seguir esse processo:

  • Stop no IIS;
  • Detach e Attach da database;
  • Executar comandos com o TFSConfig;
  • Start IIS;

Stop no IIS no Servidor TFS

abra o CMD em modo Administrado e execute o seguinte comando

iisreset /stop

23

Verifique no IIS se os serviços estão parados

24

Agora vamos Detach a database do TFS_Configuration, esse procedimento é o mesmo que foi feito para as outras databases.

Detach e Attach da database

Clique com o Botão Direito no TFS_Configuration >Task >Detach

25

Agora mova a database do servidor atual para o servidor novo e de um Attach

26

Pronto com a database do TFSConfig no servidor novo, vamos aos comandos.

Direcionando TFSConfig para o Servidor novo

O primeiro comando RemapDBs ele vai redirecionar TFS para o servidor ou para servidores que estão executando serviços ou o SQL Server de análise de SQL Server que reporting services se os bancos de dados são hospedados em um servidor ou em uma instância separada do banco de dados de configuração.

Abra o CMD em modo Administrador e vá até o caminho “C:Program FilesMicrosoft Team Foundation Server 12.0Tool

Execute o seguinte comando

TFSConfig RemapDBs /DatabaseName:SRVSQLNEW;TFS_Configuration /SQLInstances:SRVSQLNEW

27

No segundo comando Accounts. Você usa o Accounts comando para alterar as contas e senhas para contas de serviço Visual Studio Team Foundation Server usa (TFS). Essas contas incluem a conta de serviço Team Foundation Server (TFSService), as fontes de dados da conta para SQL Server Reporting Services (TFSReports) e a conta de serviço Team Foundation Server Proxy (TFSProxy). Você também pode usar esse comando para alterar a propriedade dos bancos de dados que Team Foundation Server usa.

Vamos resetar as contas de serviços do TFSConfiguration, execute o seguinte comando

TFSConfig Accounts /ResetOwner /SQLInstance:SRVSQLNEW /DatabaseName:TFS_Configuration

29

Em seguida vamos adicionar a conta de serviço do TFS, execute o seguinte comando

TfsConfig Accounts /add /AccountType:ApplicationTier /account:tfs.admin /SQLInstance:SRVSQLNEW /DatabaseName:TFS_Configuration

28

No terceiro comando RegisterDB. Você pode usar esse comando ao restaurar o banco de dados de configuração para o novo hardware ou ao alterar o domínio de uma implantação.

Execute o seguinte comando

TfsConfig RegisterDB /SQLInstance:SRVSQLNEW /DatabaseName:TFS_Configuration

31

Execute o seguinte comando para start o IIS

iisreset /start

Pronto seu TFS está apontando para o novo servidor de SQL.

Obrigado e até o próximo Post.

Como configurar RAID no CentOs 7 no Windows Azure

Fala Galera!!!

Essa demostração visa como criar um RAID via mdadm em Servidores Linux no Azure, essa configuração melhora o desempenho da aplicação e a gravação de dados fica mais rápida comparado com um único HD. Para configurar o RAID iremos utilizar o utilitário “mdadm”

O utilitário mdadm pode ser usado para criar, gerenciar e monitorar conjuntos de múltiplos discos (MD)para RAID por software ou Entrada/Saída de multi-caminho.

Nessa demostração irei utilizar no Azure;

  • 1 – Servidor com CentOs 7.
  • 1 – HD de S.O.
  • 2 – HD de 1Gb (O tamanho é só para a demostração).

Lembrando que é compatível com as seguintes versões de Linux;

  • Ubuntu
  • CentOs
  • OpenSUSE

Anexando Disco no Servidor

No painel do servidor vá em Conectar e clique em Anexar Disco

001

Na janela de criação do disco virtual, escolha um nome para o VHD e o tamanho depois clique em Ok. 

OBS: Nesse procedimento estou criando 2 VHDs para fazer o RAID, você pode fazer com quantos discos for necessários.

002

Vamos verificar a integridade dos HDs, execute o seguinte comando

fdisk -l

003

Configuração do RAID via MDADM 

Para fazer a instalação do mdamdm, execute o seguinte comando

sudo yum install mdadm

004

Criação da Partição

Agora vamos criar as partições, nesse caso criaremos uma unica partição de disco em /dev/sdc.

  • Para iniciar a criação das partições, utilize o fdisk:
sudo fdisk /dev/sdc

005

  • No Prompt pressione ‘n’ para criar a partição:
Command (m for help): n

006

  • Agora pressione ‘p’ para criar um partição primária:
Partition type:
 p primary (0 primary, 0 extended, 4 free)
 e extended
Select (default p): p

009

  • Digite ‘1’ para selecionar a partição ‘1’:

0010

  • Agora de Enter para aceitar a partição e para colocar a partição do espaço livre no disco:

0011

  • Agora vamos alterar o ID padrão linux para o ‘fd’ (RAID automático do Linux), digite ‘t’ depois em Hex Code ‘fd’

0012

  • Agora pressione ‘w’ para gravar a tabela de partição da unidade depois saia do fdisk

0013

Pronto a partição está criada.

Criando a Matriz do RAID

Agora vamos criar o RAID 0 com as partições dos dois discos separados, nessa demostração estou dando exemplo com dois disco ‘C’ e ‘D’:

Execute os seguintes comandos:

sudo mdadm --create /dev/md127 --level 0 --raid-devices 2 

/dev/sdc /dev/sdd

0014

Agora vamos criar um sistemas de arquivo dentro do RAID, execute o seguinte comando

mkfs -t ext4 /dev/md127

0015

Agora vamos criar um pasta para o sistema de arquivos, execte o seguinte comando

mkdir /DemoRaid

0016

Agora vamos fazer a referencia do sistemas de arquivos com o blkid, para determinar o UUID do novo sistema de arquivo. Digite o seguinte comando

/sbin/blkid

0017

Em seguida digite o comando “mount -a” para testar se a entrada /etc/fstab está correta. Pronto o servidor está com RAID configurado.

Obrigado e até o próximo Post.

Novidades Azure Backup

Olá Pessoal!!!

Na segunda semana de Fevereiro a Microsoft anunciou algumas novidades no Azure Backup algumas das melhorias são:

  • Long Term Retention – Agora com um tempo de retenção com até 99 anos.
  • Offline seeding  – O problema que muitos tinham devido a link de internet e arquivos muitos grandes ” Ah meu backup inicial e muito grande”, essa versão resolve esse problema através da integração com o Azure Import serviço / Export. Isso significa que em vez de fazer a cópia de segurança inicial sobre sua conexão de internet existente, você pode enviar o disco que contém a cópia inicial de backup para o datacenter mais próximo Azure.
  • Backup de todos os workloads DPM para Azure
  • Melhor monitorização e registo no SCOM

No painel do cofre do Azure temos o Painel, Itens Registrador e Itens Protegidos;

Painel

Na visão geral de uso com os servidores registrados e armazenamento, os instaladores ficam nessa pagina;

  • Agente para Windows Server ou System Center Data Protection Manager ou Windows Client;
  • Agente para Windows Server Essentials;
  • Credenciais do Cofre;

Itens Registrados 

Em itens registrados todos os Servidores que estão com os agentes instalados.

Itens Protegidos

Em Itens protegidos visa mostrar quais os drives mapeados e quantos backups foram feitos.

Vou demostrar como faz a configuração e apresentar as funcionalidades da ferramenta.

Criando o Cofre no Azure

No Painel do Azure, clique em Novo> Serviços de Dados> Serviços de Recuperação> Cofre de Backup> Criação Rápida> coloque um nome para o cofre e escolha a Região, em seguida clique em Criar Cofre

01

Após a criação ele vai aparecer no painel como Ativo

02

Agora vamos fazer o download das Credencias e o instalador Azure Backup, faça o download do item 1 e 2

04

Instalação Azure Backup

Execute o agente “MARSAgentInstaller”, em seguida ele ira especificar o local de instalação e Cache e clique em Next

05

Caso tenha alguma configuração de Proxy, adicione essas informações no agente. Em seguida clique em Next

06

Clique em Next

07

Em seguida clique em Install

08

Aguarde o fim da Instalação, clique em Proceed to Registration 

09

Vamos apontar as Credencias do Cofre do Azure, clique em Browse e escolha o certificado

10

Após escolher o Certificado, clique em Open

11

Aguarde a validação do certificado

12

Após a validação, o agente ira trazer as informações do cofre em seguida clique em Next

13

Agora vamos colocar uma senha com 16 caracteres no minimo, caso queria que ele gere automaticamente clique em Generate Passphrase, escolha um lugar para guardar essa senha, em seguida clique em Finish 

15

Após a finalização do registro clique em Close

14

Configuração do Microsoft Azure Backup

No painel de configuração do Azure Backup temos a seguinte opção;

  1. Register Server – Essa opção serve para Registrar o Servidor;
  2. Schedule Backup – Configuração dos Backups;
  3. Recovery Data – Restore dos dados;
  4. Change Properties – Configurações do Azure Backup;

16

Clique em Schedule Backup, na pagina principal em Next

17

Clique em Add Items, escolha os itens ou pasta que será feito o Backup

18

Clique em OK. OBS: lembrando que pode colocar vários arquivos ou pastas.

19

Clique em Next

20

Em Specify Backup Schedule você especifica se vai ser o backup do dia ou da semana, em seguida clique em Next

21

Em Retetion Policy você escolhe o tempo de retenção que agora dura até 99 anos. Em seguida clique em Next

22

Em Offine Backup aqui você pode escolher configurações em Offline, em seguida clique em Next. OBS: Essa é a grande novidade do Azure Backup

23

Em seguida clique em Finish e depois em Close, seu backup está configura com as rotinas especificadas

25

25

Pronto seu backup está configurado.

 

Upload e Download VHD Microsoft Azure via Powershell

Olá pessoal!!!

Hoje vou demostrar a como fazer o Upload de um VHD para o Microsoft Azure, o Azure suporte apenas a extenção “.VHD”. Caso tenha um arquivo “.VHDX” tem que converter antes de fazer o Upload, o próprio Hyper-V faz essa conversão mais é possível também fazer via Powershell.

UPLOAD VHD

Execute o seguinte comando;

select-azuresubscription “Demo”

$sourceVHD = “C:teste.vhd”

$destinationVHD = “https://demo.blob.core.windows.net/vhds/teste.vhd” Add-AzureVhd -LocalFilePath $sourceVHD -Destination $destinationVHD -NumberOfUploaderThreads 5

Ele primeiro prepara o VHD e depois faz o upload.

DOWNLOAD VHD

Execute o seguinte comando;

select-azuresubscription “Demo”

$sourceVHD = “https://demo.blob.core.windows.net/vhds/teste.vhd” $destinationVHD = “C:teste.vhd” Save-AzureVhd -Source $sourceVHD -LocalFilePath $destinationVHD -NumberOfThreads 5

Obrigado galera até o próximo post.

Copiar VHDs entre Subscription no Microsoft Azure

Como copiar o VHD de uma Subscription para outra Subscription no Microsoft Azure. Esse visa demostrar linha por linha, o processo para mover o VHD de uma bem simples.

Para copiar os VHDs você precisa logar com seu usuário do Microsoft Azure Powershell, caso não tenha instalado segue o link http://goo.gl/Q6EX31, com o passo a passo da configuração e instalação.

Vamos importar o Modulo Azure, esse comando vai fazer o download de todos os comandos do Azure;

Import-Module Azure

Em seguida verifique as Contas associadas, execute o seguinte comando;

GetAzureAccount

1

Execute o seguinte comando, para pegar as informações das Subcription;

Get-AzureSubscription

2

Esse comando vai apresentar as Subscription, selecione a subscription onde está o VHD

Select-AzureSubscription “Subscription_1”

3

Escolha o VHD blob que vai ser copiado, atribuia uma variável ao “blobName” o comado vai ficar assim

$blobName = “vmtestelab-vmtestelab-2015-03-04.vhd”

Precisamos das seguintes informações, nome do Storage, chave do Storage e o nome do Container. As variáveis serão atribuídas da seguinte maneira;

$sourceStorageAccountName = “storage_1”
$sourceKey = “09Agn4fVjULAghRV0YWaR2crBlDNIOO/KJ5k+94VKUi74QFW72QpskRAXRTjbEKg38xD0TI6V3iQR/jb0uCIzg==”
$sourceContext = New-AzureStorageContext –StorageAccountName $sourceStorageAccountName -StorageAccountKey $sourceKey
$sourceContainer = “vhds”

4

Iremos atribuir as variáveis para o Storage de destino, execute o seguinte comando;

$destinationStorageAccountName = “storage_2”
$destinationKey = “Q/bV6D30mql7aEteJdyFopZ1LgekxsrmXOxfY25EqW+/fqteWeDr/CYYt/OcVCierqdhjYB67Z7vZQ5haozTYQ==”
$destinationContext = New-AzureStorageContext –StorageAccountName $destinationStorageAccountName -StorageAccountKey $destinationKey

Iremos criar o contêiner de destino, caso tenha o contêiner criado não precisa dessa etapa. Execute o seguinte comando;

$destinationContainerName = “vhsmovido”
New-AzureStorageContainer -Name $destinationContainerName -Context $destinationContext

5

Com o Contêiner criado, vamos fazer a copia do VHD para a Subscription_2, execute  seguinte comando;

$blobCopy = Start-AzureStorageBlobCopy -DestContainer $destinationContainerName
-DestContext $destinationContext -SrcBlob $blobName -Context $sourceContext -SrcContainer $sourceContainer

6

Para verificar como está a copia do VHD, execute o seguinte comando;

while(($blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState).Status -eq “Pending”)
{
Start-Sleep -s 30
$blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState
}

$blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState

7

Para acompanhar o Status execute apenas o seguinte comando;

$blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState

Pronto após alguns minutos ele vai trazer a mensagem que foi copiado com sucesso

8

Segue o Script montado abaixo, basta alterar os parâmetros e executar.

Select-AzureSubscription “Demo”
$blobName = “vmtestelab-vmtestelab-2015-03-04.vhd”
$sourceStorageAccountName = “Storage-1”
$sourceKey = “09Agn4fVjULAghRV0YWaR2crBlDNIOO/KJ5k+94VKUi74QFW72QpskRAXRTjbEKg38xD0TI6V3iQR/jb0uCIzg==”
$sourceContext = New-AzureStorageContext –StorageAccountName $sourceStorageAccountName -StorageAccountKey $sourceKey
$sourceContainer = “vhds”
$destinationStorageAccountName = “Storage-2”
$destinationKey = “Q/bV6D30mql7aEteJdyFopZ1LgekxsrmXOxfY25EqW+/fqteWeDr/CYYt/OcVCierqdhjYB67Z7vZQ5haozTYQ==”
$destinationContext = New-AzureStorageContext –StorageAccountName $destinationStorageAccountName -StorageAccountKey $destinationKey
$destinationContainerName = “vhsmovido”
New-AzureStorageContainer -Name $destinationContainerName -Context $destinationContext
$blobCopy = Start-AzureStorageBlobCopy -DestContainer $destinationContainerName -DestContext $destinationContext -SrcBlob $blobName -Context $sourceContext -SrcContainer $sourceContainer

while(($blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState).Status -eq “Pending”)
{
Start-Sleep -s 30
$blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState
}

$blobCopy | Get-AzureStorageBlobCopyState

Valeu Galera até o próximo post.

Instalando OTRS no CentOs 7

Olá Pessoal!!!

Essa semana conheci a ferramenta de Chamados OTRS, baseada em regras de ITIL, por ser “Free” achei bem completa.

O que significa OTRS? Significa um Sistema de Requisição de Tickets em Codigo Livre. Sendo assim a aplicação pode ser utilizada de qualquer navegador compatível com HTML. A interface Web não utiliza qualquer um conteúdo ativo como Flash ou Java assegurando que o sistema seja portado para qualquer dispositivo.

Nesse tutorial estou utilizando a versão mais recente do CentOs 7 e a ultima versão do OTRS 4.0.6.

Vamos lá:

Após ter configurado o CentOs vamos iniciar a instalação, recomendo sempre fazendo o update do CentOs.

Para fazer o Update CentOs 7, digite o seguinte comando

yum -y update

1

Agora vamos verificar o arquivo SELinux, digite o seguinte comando

sestatus

2

Vamos editar esse arquivo para Permissive, porque senão você pode perder o contexto de segurança em arquivos e que você iria querer habilitar SELinux em algum momento depois que você precisa para voltar a etiquetar arquivos que é difícil.

Digite o seguinte comando para editar o arquivo

vi /etc/selinux/config

 

3

Altere o arquivo SELinux para permissive

4

Em seguida execute o seguinte comando,

setenforce Permissive

5

Pronto, agora vamos fazer a instalação do MySQL. Se você deseja instalar o MySQL em vez de MariaDB, isso não é problema, o projeto MySQL tem proporcionado um repositório yum que você pode usar. Nessa instalação vou utilizar o MariaDB.

Execute o seguinte comando para instalar o MySQL e aguarde o fim da instalação

    yum install -y mariadb-server

6

Vamos adicionar alguns parâmetros para uma melhor performace

echo -e “[server]nmax_allowed_packet=20Mnquery_cache_size=32M” > /etc/my.cnf.d/otrs.cnf

7

Agora vamos habilitar o serviço e iniciar o MySQL, execute o seguinte comando

       systemctl enable mariadb.service

8 systemctl start mariadb.service

9

Vamos efetuar uma instalação rápida e confiável do banco de dados, execute o seguinte comando

mysql_secure_installation

OBS.: após a execução do último comando o banco irá solicitar 08 perguntas a serem informadas, abaixo está a grade com cada uma das perguntas e como devem ser preenchidas.
Enter current password for root (enter for none): enter
Set root password? [Y/n] enter
New password: digite uma senha
Re-enter new password: confirme a senha
Remove anonymous users? [Y/n] Y
Disallow root login remotely? [Y/n] Y
Remove test database and access to it? [Y/n] Y
Reload privilege tables now? [Y/n] Y
systemctl start mariadb

Agora vamos validar se a instalação foi concluída com exito, execute o seguinte comando e digite a senha

mysql -u root -p -A

10

Agora vamos fazer a instalação do OTRS. Você pode encontrar arquivos de instalação do RPM no servidor web de OTRS. Para a versão atual o comando de instalação é:

yum -y install http://ftp.otrs.org/pub/otrs/RPMS/rhel/7/otrs-4.0.6-01.noarch.rpm

Só aguardar o fim da instalação

11

Agora vamos instalar as dependências, o repositório de pacotes qualidade empresarial mantida pelo projeto Fedora. Note-se que esta etapa é uma espécie de importante, pois também lhe trará mod_perl que é realmente necessário para ter bom desempenho do servidor web!

yum -y install epel-release yum install -y mod_perl “perl(Crypt::Eksblowfish::Bcrypt)” “perl(JSON::XS)” “perl(GD::Text)” “perl(Encode::HanExtra)” “perl(GD::Graph)” “perl(Mail::IMAPClient)” “perl(PDF::API2)” “perl(Text::CSV_XS)” “perl(YAML::XS)”

Agora vamos iniciar o servidor web Apache. Você também deve adicionar uma regra para o firewall para permitir o acesso ao servidor web. CentOS 7 com firewalld, uma nova geração de firewall que permite que você faça essas mudanças muito facilmente.

rm /etc/httpd/conf.d/welcome.conf systemctl enable httpd systemctl start httpd.service

12

Pronto agora vamos verificar o Firewall, com os seguintes comandos

firewall-cmd –permanent –zone=public –add-service=http firewall-cmd –reload

13

Pronto a ferramenta de Chamados OTRS já está no ar, para inicializar as configurações do OTRS digite o seguinte endereço http://Endereço-De-IP-no-Servidor/otrs/installer.pl. Nesta pagina vai ter algumas informações sobre a ferramenta tais como site, endereço e email. Clique em próximo

14

Agora vamos aceitar o termo de aceite do OTRS

15

Vamos a criação do Banco de Dados MySQL, vamos selecionar a opção MySQL e deixar na opção Criar um novo banco para o OTRS, em seguida clique em próximo

16

Vamos verificar se o usuário Root faz a comunicação com o MySQL, digite a senha e mande ele verificar a conexão com o banco de dados

17

Quando o usuário root fazer a comunicação com o banco de dados MySQL ele vai apresentar essa tela. Em seguida Clique em Próximo

18

Agora o usuário root vai criar a database ‘otrs’ com suas respectivas permissões, em seguida clique em Próximo

19

Agora vamos a configuração do Sistema, nessa opção você pode alterar o nome da organização, e-mail do administrador e o ID do sistema as demais opções não precisa alterar

20

Agora vamos a configuração do e-mail, nessa demostração estou usando um e-mail do Office 365. Para o que o Office 365 funcione corretamente tem que seguir as seguites informações

Servidor SMTP e Servidor de Entrada = outlook.office365.com

Tipo de Saída = SMTPTLS

Tipo de Entrada = IMAPS

Como segue a imagem abaixo:

21

Em seguida clique em Verificar configuração de e-mail e aguarde, ele vai te trazer a seguinte mensagem

22

Clique em OK, Pronto ele vai redirecionar você para a pagina com o link de acesso a ferramenta http://IP-do-Servidor/otrs/index.pl .

27

Lembrado quando acessar a ferramenta com o usuário root@localhost mude a senha e já crie um outro usuário. Em seguida o OTRS vai pedir para inicializar o crontab, ele irá avisar que o agendador de tarefas não foi inicializado execute o seguinte comando

/opt/otrs/bin/Cron.sh start otrs

23

Pronto essa e a interface do OTRS

24

Vamos a configuração do email, vá até Administração> Enedereços de E-mail altere o endereço Root@localhost pelo o e-mail que a ferramenta vai utilizar, em seguida clique em enviar para que ele salve as configurações

25

Vamos configurar o crontab para o envio e recebimento de e-mail automaticamente, nele iremos adicionar o e-mail que vai ser utilizado e vamos mudar o tempo de recebimento e envio execute o seguinte comando

crontab -e -u otrs

Em seguida edite os seguinte campos que estão sinalizados na imagem abaixo.

MALITO = E-mail do Suporte

Fetch E-mail = O tempo que ele vai puxar o e-mail da mailbox

26

feito isso salve o arquivo.

Pronto o OTRS está no ar pronto para uso.

Obrigado galera até o próximo post.

 

Instalando e configurando o FTP Server no Microsoft Azure

Olá Pessoal,

Vamos a mais um artigo, dessa vez vamos falar da instalação e configuração do FTP Server no Microsoft Azure, o objetivo do artigo é ser o mais simples possível, e claro que mantenha a qualidade e não comprometa o conteúdo.

Primeiro passo, conecte na máquina virtual (com Windows Server 2012 R2) que está hospedada no Microsoft Azure, em seguida abriremos o powershell como Administrador, depois executaremos o seguinte comando: Install-WindowsFeature Web-FTP-Server

image

Ao final da instalação será apresentada a mensagem abaixo, perbeca que a instalação foi feita com sucesso e não necessita de restart.

image

OBS¹: Lembrando que a instalação do FTP Server pode ser feita via GUI, preferi o powershell por ser mais prático.

Aproveitando que já estamos com o powershell aberto, digite: inetmgr e tecle <ENTER>, a janela de gerenciamento do IIS será aberta e é nela que vamos trabalhar algumas configurações de FTP Server. Após a instalação do FTP, vamos criar um site de FTP, seguindo o seguinte procedimento:

 

Com a pasta de sites selecionada, clique com o botão direito, depois Add FTP Site. Preencha todas as informações, como o nome do site de FTP e o caminho que será armazenado os arquivos, clique em Next.

image

Agora vamos fazer algumas configurações básicas do FTP, a principio por se tratar de um ambiente de laboratorio utilize as mesmas informações da imagem abaixo. Next.

image

Na próxima janela configuramos as opções de Autenticação e Autorização (Utilize as informações abaixo), Finish.

OBS²: As informações abaixo, caso seja configuração para o ambiente de produção, vai fazer com que qualquer um tenha acesso e possa fazer operações de escrita e leitura.

image

Pronto, FTP Server configurado, porém so pode ser acessador internamente, para tirarmos a prova real, podemos utilizar uma ferramebta muito conhecida pelos ITPRos, que é o telnet, aproveite a janela do powershel que está abertaw e digite o seguinte comando: telnet localhost 21

O que será apresentado a você tem que ser identico a janela abaixo:

image

Bom, tudo funcionado, porém eu quero que esse FTP esteja publicado externamente, bem simples, basta criar um endpoint para essa máquina virtual, acesse o portal do azure (http://manage.windowsazure.com), navegue até o menu Virtual Machines, clique na máquina virtual que foi utilizada para configurar o FTP, clique em Endpoint, na parte de baixo da janela, utilizaremos a opção Add –> ADD A STAND-ALONE ENDPOINT

image

Clique em Next, e siga as opções da imagem abaixo:

image

Clique em Finish e aguarde por alguns instantes até a configuração do endpoint, para testar seguimos a mesma lógica do teste interno, porém para que seja eficaz o teste deve ser feito de um computador fora do azure e utilizaremos o IP Público e/ou DNS para acessa-lo.

OBS³: Caso tenha problema para acessar o FTP de uma rede pública, certifique-se que a porta configurada no endpoint esteja liberada no firewall local do Window, para isso, abra o powershell e/ou prompt de comando como administrador e execute o abaixo e faça o teste novamente.

netsh advfirewall firewall add rule name=”FTP (non-SSL)” action=allow protocol=TCP dir=in localport=21

image

image

OBS4: O nome pode ser qualquer um, inclusive algum customizado, o protocolo é TCP, e um ponto importante é relacionado a public port e private port, onde public port é a porta que ficara aberta para a internet e a private port é a porta que configuramos internamente. Lembrando que a porta pode ser qualquer uma (diferente de 21), isso ajuda a mitigar ataques de força-bruta, por exemplo, que normalmente usam portas padrões de mercado. Aproveitando o gancho de segurança, ainda podemos disponibilizar esse FTP a partir de uma VPN Site-to-Site ou Cliente-to-Site, assim isolamos o FTP e acessamos de uma forma segura. Caso você não utilize uma VPN ou até mesmo um certificado SSL, lembre-se o trafego que acontece entre o client-server não é criptografado e pessoas mal intencionadas podem intercepetar os dados que estão sendo trafegados.

Até a próxima,

Erick Albuquerque | MVP
@_ealbuquerque | linkedin

Publicando externamente um site do IIS 8.5 no Azure

No último artigo falamos de como criar um site no IIS (Internet Informations Services) 8.5, para quem não leu, pode consultar neste link.

Lembrando que esses artigos estão sendo desenvolvido na plataforma em nuvem da Microsoft, o Microsoft Azure.

Hoje vamos aprender a como publicar para o mundo externo um site no Azure e quais as configurações que precisam ser feitas no IIS.

Quando criamos uma máquina virtual no Azure, é gerado uma URL no seguinte padrão nome.cloudapp.net.

image

É exatamente isso que vamos utilizar para publicar nossa aplicação, primeiramente vamos configurar o host header com o nome de DNS público que já foi gerado anteriormente quando criamos a máquina virtual. Para isso vamos abrir a console de gerenciamento do IIS 8.5:

– Pressione as teclas Window+R, na sequência digite:inetmgr e clique em OK.

– Clique com o botão direto em cima do website, e selecione Edit Bindings

image

– Selecione a opção semelhente da imagem abaixo e clique em Edit

image

– Vamos manter todas opções por enquanto com exceção do campo Host name que preencheremos com a URL da Máquina Virtual, na sequência clique em OK.

image

– No próximo passo, vamos configurar o endpoint na máquina virtual, basicamente criaremos um regra que vai permitir o acesso externo através da porta 80 para o nosso site dentro do IIS. Simplificando o endpoint, podemos entender que é um NAT (Network Address Translation). Outras possibilidades de configuração para esse site é o seguinte, para o acesso externo pode ser feito na porta 8085 (http://iisbrasil.cloudapp.net:8085), porém nossa porta interna configurada no IIS é 80!

Vamos a configuração:

Com o portal do Microsoft Azure aberto, selecione no painel ao lado esquerdo – Virtual Machine, no painel central clique na máquina virtual que está hospedado o seu site, ainda no painel central, selecione ENDPOINTS.

image

Clique em Add > Add a Stand-alone endpoint > Next

Em name, Selecione HTTP, automaticamente as informações serão preenchidas, veja:

image

Agora clique em Complete, e aguarde alguns instantes para que seja aplicado a configuração do endpoint na máquina virtual selecionada anteriormente.

Para validar a configuração é bem simples, acesse o navegador do seu computador local e entre com o endereço que vocês criaram, no nosso caso é o http://iisbrasil.cloudapp.net.

A tela inicial do IIS 8.5 será apresentada.

image

Uma outra maneira de validar se a configuração foi aplicada corretamente na máquina virtual é com o telnet que pode ser executado de qualquer dispositivo que tenha acessa a Internet e com o cliente de telnet.

Até a próxima.

Erick Albuquerque | MVP
@_ealbuquerque

Criando meu primeiro site no IIS (Internet Information Services) 8.5

Olá pessoal,

Bem vindo novamente, já faz um longo tempo que não postamos algo por aqui, mas a ideia é voltar aos poucos com muito conteúdo em cima do IIS (Internet Information Services) 8.5, sugestão para artigos é sempre bem vindo.

Bom hoje vamos entender como é feito a criação de um site no IIS, levando em consideração que esse servidor está todo no Microsoft Azure, para quem já tem um servidor no Azure, no Datacenter, ou até mesmo como máquina virtual em seu Desktop/Notebook utilizando o Sistema Operacional Windows Server 2012 R2, siga esses passos para a instalação do IIS – clique aqui.

Bom, agora que já temos nosso IIS instalado e funcional, vamos criar um novo site, para isso requer um minimo de planejamento.

  • Primeiro, precisamos de um nome para esse website, lembrando que esse nome é o que ficará visivel na console de gerenciamento do IIS.
  • Segundo, é necessário definir em qual aplication pool meu site vai utilizar (futuramente escreveremos sobre boas práticas de publicação de um website no IIS
  • Terceiro, é necessário definirmos o caminho físico, onde a aplicação do meu site será armazenada
  • Quarto, necessário configurar a binding
  • E por último e não menos importante é configurar o hostname

Para abrir a console de gerenciamento do IIS, pressione a tecla Windows+R, a janela de Executar será aberta, digite inetmgr e tecle OK.

Selecione Site, clique com o botão direito e em segui Add Website:

image

Agora vamos ao projetinho básico, ou seja, informações básica para criar o nosso primeiro site:

Site name: iisbrasil.cloudapp.net

Application Pool: DefaultAppPool

Physical path: Caminho padrão (c:inetputwwwroot)

Bindings:

Type: http

IP Address: All Unassigned

Port: 80

Hostname: Por enquanto em branco

image

Clique em OK.

Para validar se o site está funcionando corretamente, faça o seguinte:

1) Selecione o site recem criado, com o botão direito selecione a opção Manage Website, e em seguida clique em Browse

image

A tela que irá aparecer no browser será igual da janela abaixo, salietando que essa é a página padrão, como estamos utilizando o diretorio que é feita a configuração do primeiro site automaticamente pelo IIS. Notem de como está configurado o link (http://localhost), isso será tema para o nosso próximo artigo!

image

Abraços,

Erick Albuquerque

Você conhece o Quintas da TI?

Olá pessoal!

Feliz 2015!

 

Hoje estamos aqui para falar um pouco sobre o evento Quintas da TI e de que forma ele vem influenciando e ajudando a alavancar a carreira do profissional de TI.

 

Bom o Quintas da TI é um evento que acontece o ano inteiro, com webcasts online todas as quintas-feiras a partir das 23 horas, e o bacana que são temas variados e apresentado por influenciadores técnicos, principalmente na plataforma Microsoft, mas não se limitando apenas nela. O evento é apresentado por MVPs (Most Valuable Professional), para quem não sabe ou nunca ouviu falar, o titúlo de MVP é concedido pela Microsoft para profissionais que influenciam de alguma forma a comunidade técnica de TI, com palestras, vídeos, webcasts, artigos, fórums e eventos no geral, é um profissional que tem paixão pelo que faz e tem o prazer de ajudar, além de toda a disponibilidade e assessibilidade para que as pessoas cheguem e conversem ou envie algum tipo de mensagem, seja via Linkedin, Facebook, Skype, Twitter, etc. Para conhecer mais sobre o programa MVP acesse esse link.

Outros pessoas já palestraram como os MTACs (Microsoft Technical Audience Contributor), é um programa gerenciado pela Microsoft, e tem como objetivo reunir os principais influenciadores da comunidade técnica da Microsoft, para conhecer mais sobre o programa MTAC acesse esse link.

Além desses palestrantes, tivemos a presença de alguns funcionários da Microsoft palestrando sobre diversos temas, essas webcasts foram um sucesso tendo a presença de mais de 60 pessoas online.

Enfim, dentro de cada webcast e a qualquer momento a pessoa que está participando pode fazer perguntas e interagir com o palestrante, o que torna o webcast muito dinâmico.

O nosso público é desde o estudante até o Arquiteto de Infraestrutura, e os acessos vem de todo o Brasil. Bom, agora vamos falar um pouco mais sobre o projeto Quintas da TI.

 

O Quintas da TI é idealizado por 03 (três) profissionais, sendo o MVP Eduardo Sena, eu (Erick Albuquerque), e o MTAC Thiago Guirotto. Apenas para histórico, no último ano (2014):

 

  • Tivemos mais de 43 webcasts em diversas tecnologias, sendo Microsoft e não Microsoft.
  • Mais de 43 horas de conteúdo gratúito, e disponibilizado no nosso canal do Youtube
  • Mais de 800 pessoas participaram, tendo uma média de 19 pessoas conectadas por webcast
  • Vários palestrantes com diversas competências, sendo MVPs, MTACs, funcionários da Microsoft e influenciadores no geral

Algumas tecnologias que foram apresentadas:

– Windows Server 2012 R2

– System Center

– SQL Server

– Windows 8.1

– Office 365

– Azure

– Remote App (Azure)

– DHCP

– Hyper-V

– e muito mais.

Para esse ano (2015), os webcasts iniciarão em Março/15 e o prazo previsto para o término é em Dez/15. O ano passado foi ótimo e esse ano será sem sombra de dúvida melhor. Poderemos contar até com palestrantes internacionais, fique atento nas redes sociais.

 

Quintas da TI nas redes sociais

Youtube – https://www.youtube.com/quintasdati/

Linkedin – https://www.linkedin.com/groups/WSG-Windows-Study-Group-4217436

Facebook – https://www.facebook.com/pages/Quintas-da-TI/488731181232250

Site: http://www.windowsstudygroup.com.br/quintas-da-ti

 

Idealizadores

Eduardo Sena

Twitter: https://twitter.com/eduardodsantos

Facebook: https://www.facebook.com/eduardosenasantos

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/eduardosenasantos

 

Erick Albuquerque

Twitter: https://twitter.com/_ealbuquerque

Facebook: https://www.facebook.com/easantos85

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/easantos

 

Thiago Guirotto

Twitter: https://twitter.com/guirotto

Facebook: https://www.facebook.com/ThiJuiGuirotto

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/thiagoguirotto

 

Abraços,

Erick Albuquerque